Zombooka 2

Depois de me deliciar com o Flaming Zombooka 1, chegou o Zombook 2.

Titulo da Imagem Titulo da Imagem

Medo.Com

A internet e seus podres profundos. Todos nós sabemos que coisas ruins existem em qualquer lugar. No esporte, no mundo empresarial, na polícia e em qualquer espaço da terra que esteja habitado por humanos.

Titulo da Imagem Titulo da Imagem

Você Sabia?

Nicole Kidman é Dra. Carol Bennel, psiquiatra em Washington, que luta para salvar a vida de seu filho ao descobrir uma invasão de um vírus alienígena.

Titulo da Imagem Titulo da Imagem

Atriz brasileira é sucesso em filme americano

A brasileira Fernanda Andrade está despontando nos cinemas americanos.

Titulo da Imagem Titulo da Imagem

2 de ago de 2010

Skeleton Man

O mercado cinematográfico vem crescendo de forma excepcional a cada ano. Depois de um período turbulento, onde a pirataria fez estragos significantes nos balanços financeiros do setor, a indústria do cinema mostra sinais de recuperação altamente positivos. Segundo um estudo do Data Base Mundo, que utilizou dados de 2007 para a comparação, as bilheterias mundiais ultrapassaram pela primeira vez a marca de US$ 26 bilhões em renda. 

O site ainda afirma que a produção de filmes no mundo atingiu um recorde, com mais de cinco mil longas produzidos em 2007. Com Avatar 3D ultrapassando 1 bilhão de dólares em renda em 2010, o cinema mostrou que ainda tem muito combustível para queimar e os avanços da tecnologia irão ser fundamentais para o setor. Mas não é sobre a recuperação do segmento que vou falar hoje, prometo voltar neste interessante assunto em outra oportunidade.

Para abastecer esse mercado voraz, os estúdios e produtoras são obrigados a trabalharem em ritmo frenético, com uma produção contínua de produtos para suprir a demanda. Mas qual será o critério para a produção de filmes bizarros, de qualidade duvidosa, como, por exemplo, Skeleton Man? Como será que um produtor consegue convencer um estúdio a bancar uma produção ridícula como Skeleton Man

Pesquisando pela net, descobri que o filme foi produzido de forma independente, em 2004, ou seja, sem o apoio dos grandes estúdios ou produtoras conhecidas no mercado. Menos mal, pois eu nunca iria entender o que levaria um executivo de uma empresa a autorizar qualquer quantia que seja para uma aberração do tipo Skeleton Man.

Skeleton Man (Skeleton Man - 2004)
Direção: Johnny Martin
Sinopse: Grupo de elite do exército americano entra em uma floresta com a missão de descobrir quem está por trás de estranhos assassinatos. Mas são surpreendidos por uma criatura do outro mundo.
Download: Skeleton Man 
Trailer: Skeleton Man 
 


Depois de várias mortes não identificadas em uma região florestal, uma equipe de resgate treinada pelo exército americano tenta descobrir quem está por trás dos misteriosos assassinatos. Mas ao entrar pela floresta, o grupo é surpreendido e atacado por uma estranha criatura, o Skeleton Man

São flechas que destroem hélice de helicóptero, mortes sem sentido algum, incríveis falhas de cenografia, enfim, não fique com a consciência pesada se em menos de 30 minutos você desligar o DVD e deixar o filme pela metade. Skeleton Man faz parte daquela lista de filmes grotescos como Shark Man, Mosquito Man, O Homem Bolha e diversas outras aberrações produzidas pela Nu Imagem, uma produtora de fundo de quintal que deveria ser fechada em nome do bom senso cinematográfico.


Skeleton Man é terrível, não vale um centavo sequer e morro de ódio ao lembrar que paguei R$ 29,90 + frete neste DVD. A máscara usada no filme muda a cada take. Cada vez que a câmera foca o rosto do bicho temos uma máscara diferente. E o que é aquela espada que a criatura usa? É patético! Lembra demais outro Esqueleto, o inimigo do He-Man

A espada é idêntica! O diretor Johnny Martin - que na verdade é um coordenador de dublês para filmes de ação - tentou criar uma criatura assustadora, mas que não passa de uma fantasia mal feita de Halloween. Isso sem contar os inúmeros takes filmados que depois são repetidos como se fossem cenas novas. Repare nas tomadas do esqueleto em cima do cavalo na floresta, cercando os militares. Você irá perceber a mesma cena várias vezes ao longo do filme. CTRL C + CTRL V !  
 
A primeira vítima do tal esqueleto do inferno é a Sgt. Rodriguez, interpretada por Lisa Oliver. A danada consegue a proeza de morrer mesmo tendo uma metralhadora nas mãos. Ora, o bicho feio vem em sua direção, com um capuz preto, apontando-lhe uma grande lança e você não atira? Que imbecil, tinha mais é que morrer mesmo! Outro integrante do grupo militar, o Sargento Obregon (Casper Van Dien), fazendo uma busca para tentar encontrar o bicho feio, consegue localizar a criatura de ossos. 

 O mais natural seria que o Sgt. Obregon aproveitasse a oportunidade e capturasse o bicho. Mas não! Eis que o doidão resolve, por que diabos eu não sei, roubar um caminhão estacionado na beira da estrada. De repente, quando o Sgt. estava dirigindo pela rodovia, um carro de passeio entra na contra mão da pista e obriga o sargento a frear, fazendo com que o caminhão se separe da carroceria, derrapando na pista. A carga, provavelmente com algum conteúdo inflamável, explode. 

O Sgt. Obregon sai da boléia cambaleando e cai no chão. É quando o Skeleton Man aparece e passa a "espada de Etérnia"* no Sgt. Agora eu pergunto para vocês: Porque ele roubou aquele caminhão? Voltei a cena diversas vezes e fiquei sem entender qual o motivo. Parece que fizeram aquilo só para explodir o caminhão e deixar o filme mais "bonito". O pior é que o Sgt. Obregon não morre. Ou melhor, ele não morre na hora. 

Ele consegue voltar para a floresta e finalmente, morrer nos braços de sua equipe. Que emocionante, não é mesmo? Ah, MEU OVO! A cena só serviu para dar um ar de revolta no restante da equipe e tentar criar uma situação dramática para justificar uma atitude rebelde do grupo contra o Skeleton Man. Só que a interpretação dos atores é péssima e não criou clima nenhum. Tudo soou muito falso.
 
E o final? O final é um dos piores que eu já vi em toda a história do Diário do Medo. O Sgt. Cordeiro (Michael Rooker), líder do grupo de resgate, com toda sua fúria e raiva de um ornitorrinco, quer vingar a morte dos amigos mortos e vai à caça do Skeleton Man, que nessas alturas já tinha invadido uma empresa e praticado uma chacina com os funcionários. Com um plano meia boca, o Sgt. explode a fábrica inteira com o Skeleton Man dentro e sai botando banca de vingador. 

E pra variar, o filme termina com mais um take repetido, usado exaustivamente durante toda a estória. O filme termina sem explicar o motivo do tal Skeleton Man em matar todo mundo que entra na floresta. Pior do que isso só dois disso!  

Ainda dentro destas absurdas produções, tive a coragem de assistir (O Homem Cobra (SSSSS - 1973). Segundo o site Boca do Inferno, os anos 50 do cinema ficou marcado por produções com muito conteúdo científico ficcional, na chamada Era Científica, onde os avanços da ciência ganhavam o mundo, poluindo a imaginação de milhares de pseudo-diretores, que materializavam seus pensamentos absurdos em filmes cheios de aberrações da natureza. 

Vinte anos depois, com o assunto já desgastado, o diretor Bernard L. Kowalski resolveu produzir algo com a temática, aproveitando as inovações tecnológicas da época, muito superiores aos filmes preto e branco dos anos 50, dando a oportunidade de produzir filmes com mais qualidade técnica do que no passado. E nos presenteia com o divertido O Homem Cobra. 

Doutor Stone, interpretado por Strother Martin, é um daqueles cientistas malucos que colocam na prática suas loucas teorias. O doutor acreditava que os répteis eram uma raça superior aos humanos e iria provar isso transformando um humano em cobra. Após convencer o estudante David (Dirk Benedict) a participar do estudo, Dr. Stone aplica injeções que modificará a estrutura molecular de David, o transformando em uma cobra. 

O mais incrível deste filme é que por mais trash que seja, consegue ser muito mais atraente do que Skeleton Man, mesmo sendo produzido 31 anos antes. É fato que Bernard Kowalski trabalhou muito bem o mistério da transformação durante os 87 minutos do filme. A produção prende o espectador até o final, quando o resultado da experiência do Dr. Stone é revelado. O Homem Cobra é legalzinho e só derrapa nos momentos finais, na transformação final de David em uma cobra, algo compreensível, uma vez que com os modernos recursos tecnológicos atuais ficamos mal acostumados e, a princípio, rejeitamos produções antigas com efeitos legais para aquela época.
 
Além disso, temos a curiosidade de conhecer o primeiro sádico por desafios assustadores. Se você que acha que Jigsaw, de Jogos Mortais, foi o primeiro a bolar armadilhas onde a pessoa deve fazer uma escolha dolorida para sobreviver, se enganou. 

Um antigo amigo do Dr. Stone, professor Daniels (Richard B. Shull) desconfia de algo estranho e ao espionar o laboratório de Stone, descobre a sinistra experiência do doutor com o estudante David. Para não deixar que Daniels o denuncie, Dr. Stone prende o antigo amigo dentro de um porão, amarrado com uma corrente. 

Para sair, Daniels deve pegar a chave do cadeado dentro de um aquário, bem a sua frente. Acontece que dentro do aquário tem uma cobra. Aliás, uma não, são dois aquários, cada um com uma cobra dentro. Daniels deve escolher qual cobra ele acha que não é venenosa e pegar a chave para sua liberdade. Descobrimos a inspiração de John Kramer para suas armadilhas em Jogos Mortais. 



Em 2005, outro filme bem parecido com o Homem Cobra foi produzido, chamado Snake Man, todo filmado na floresta amazônica. Ainda não tive a coragem (cara de pau) para assistir, mesmo porque ainda tenho Mosquito Man (Mosquito Man - 2005) dentro dessa minha sessão tortura pelos bizarros filmes "científicos"! Sem contar que ainda tenho que assistir Shark Man (Shark Frenzy - 2005). Sim, o homem tubarão! Será que eu aguento? É duro essa vida de blogueiro de filmes de terror...     
 
* Etérnia- Cidade onde vive He-Man e que o Esqueleto deseja invadir e governar!

UP Date do Post - 21 de Novembro
Descobri que Skeleton Man não é um longa e sim uma produção para TV de 4 episódios, por isso as dezenas de cenas repetidas. Aqui no Brasil juntaram tudo e lançaram como longa.

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...